blog-post-img-425

Dez anos

Alô vocês, de novo. Eu não posso deixar de atualizar hoje. É uma data significativa.

Quem poderia imaginar que a maior potência da Era Contemporânea poderia ser atacada? Ninguém. E 10 anos depois, talvez seja por isso que a maioria lembra exatamente onde estava quando soube. É difícil esquecer as circunstâncias em que suas crenças vão pelo ralo, certo?

Não podemos dizer que este foi o maior atentado terrorista da História, porque os seres humanos já viram coisas piores. Mas não dá pra ignorar os ataques de 11 de setembro. Eles mudaram nossa forma de ver o assunto.

Antes, os terroristas eram combatentes de ditaduras, como a presidente Dilma, ou membros de grupos como o IRA, lutando por justiça em seu país. Causavam controvérsia, mas tinham apoio. Agora, são monstros sem nome, que a qualquer momento podem violar sua segurança, seus bens, sua integridade física e moral e talvez tirar sua vida, se for útil a eles.

O terrorismo hoje é mais temido que a guerra. Todo país lança sua cruzada pessoal contra isso. Já vimos bem como os EUA levam o assunto. Nossa Constituição classifica o ato de terrorismo como hediondo – e é pior estar como hediondo na Constituição que na própria Lei de Crimes Hediondos. Todos se movimentam contra esse inimigo feroz e traiçoeiro.

O grande problema é que, se houver um desses no Brasil HOJE – e em outros países do mundo – os responsáveis não serão presos ou julgados por seus atos.

Apesar de todos os esforços, não existe uma definição jurídica para “terrorismo”. Nem a Lei de Segurança Nacional diz o que é. E não há crime sem lei que defina, nem pena que não esteja descrita em lei… Lembram?

“Mas todo mundo sabe o que é terrorismo”

Isso depende bastante. O seu conceito é diferente do meu. O que sabemos é subjetivo demais para sairmos aplicando a torto e a direito – e é por isso que precisamos de leis regulamentando as coisas, para não depender da opinião alheia.

O monstro tem um nome. Mas não tem um rosto que nos permita identificá-lo. Sim, nós repudiamos o terrorismo, mas não sabemos bem o que é, não temos meios de reconhecê-lo e/ou puni-lo. Então, como combater? Como faz? Não faz.

Os ataques de 11 de setembro fazem aniversário, e estamos atrasados. Sem essa definição, sem a existência desse crime, perdemos a chance de punir muita gente, aqui dentro e lá fora. Isso, porque até onde sei, nem os EUA definiram terrorismo propriamente. Aqui dentro? Bom… O termo “guerra do tráfico” traz alguma lembrança? Porque queimar ônibus com gente dentro e sair alvejando postos policiais não é festa do caqui.

Fica a sugestão. Que tal criar um abaixo-assinado para a criação de uma comissão que possa elaborar esse projeto de lei? Ou que tal escrever um projeto de lei e submeter ao Avaaz pra conseguir as assinaturas e apresentar ao Congresso (se for possível aceitar dessa forma, não tenho certeza)?

É a dica pra quem quer lutar contra o terrorismo: primeiro, saber exatamente quem é esse inimigo. É com vocês definir isso ou não.

Era só isso. Boa semana pra vocês.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.