blog-post-img-1109

Muito falar e nada fazer

Faz um tempão que não escrevo aqui. Em parte, a ausência se deve a falta de tempo, mas o desânimo contribuiu bastante.
Não é difícil entender. É só olharem os textos antigos do blog. Escrevi sobre o cuidado que devemos ter para não sermos xiitas em nenhum aspecto do nosso Estado. Escrevi sobre as medidas que podemos tomar, enquanto cidadãos, pra questionar os atos governamentais em todas as esferas. Escrevi sobre a fiscalização dos seres eleitos para administrar as coisas. Escrevi uma, duas, várias vezes.
Olhando os textos de antes, sinto-me parente de Nostradamus. Vejam só como as coisas estão hoje. Vocês estão gostando de um radical evangélico presidindo uma comissão que avalia políticas públicas para o vídeo bonitinho? Como vai essa beleza de fazer as coisas de acordo com o que ele acha que o deus dele quer para todo mundo, inclusive para aqueles que discordam veementemente do conceito de deus que ele tem?

Direitos humanos. Os direitos que você tem simplesmente por existir. Os direitos que ele TEM que respeitar, mas que está jogando no aterro sanitário. E você, como lida com isso? Como é que isso está? O que vocês fizeram pra evitar? Como estão fiscalizando? Como estão agindo pra parar a sequência de absurdos?
Não, gente. Gritar na rua não adianta. Avaaz também não ajuda. Foto bonitinha no Facebook também não. OAB fazendo notinha de repúdio, menos – a OAB, aliás, é piada para os amiguinhos do Silas Malafaia. Eu também ri: eles são todos advogados, eles SABEM melhor que isso. Não levem a mal. Passeatas são bonitas – exceto na hora do rush no meio da Paulista. Beijaços também são bonitinhos. Compartilhar desânimo, indignação e afins no Facebook em forma de notícia também é bacana. Todo mundo se solidariza. Mas se nada disso se converter em medidas CONCRETAS, que travem maravilhosamente as ações desses seres no Congresso, nada mudará. Nada. Eles sequer se incomodam com isso.

MarcoFelicianoAlanMarquesFolha2

Podem ficar revoltados à vontade. Mas esse tipo de coisa é equivalente a… Nada. É bonito, é espetáculo para inglês ver. Mas não ajuda em nada. Não se materializa em medida nenhuma. Não faz nem cócegas – o deus dele disse a ele que vocês equivalem a formiguinhas. E o deus dele também disse a ele pra não ter dó de matar essas formiguinhas, porque elas blasfemam e merecem morrer.  E para o meu, o seu, o nosso Estado de Direito… Até o presente momento, nada foi feito. As coisas são o que são.

Querem realmente fazer algo a respeito? Então parem de gritar na rua e vejam o que o Estado de Direito entende por “fazer alguma coisa”. Não adianta dizer “cansei desse cara, quando vão prendê-lo?” e continuar em casa. Sabe o que ajuda? Fazer aquilo que eu já expliquei aqui antes. O Jean Wyllys está fazendo isso. Érica Kokay também. Até a Erundina foi brigar. Falta você nessa luta. Porque quem cuida do Brasil é o brasileiro. É o povo. É VOCÊ. Não adianta olhar pro lado e ignorar dessa vez. É hora de levantar e fazer alguma coisa. Aliás, passou da hora. Prove que aqui temos gente valente e inteligente, que briga por seu país e que faz todo mundo dobrar diante da lei. Ninguém debocha da Constituição e vive imune. Mostre isso aos parlamentares evangélicos que insistem em debochar do seu poder e da sua lei. Esfregue isso na cara de Marco Feliciano. Faça-os dobrar os joelhos diante da sua Lei Maior. E repetindo: você não alcançará isso berrando no vão do MASP. Lá, o máximo que você alcança é a rouquidão, e alguns quilômetros a mais de congestionamento na cidade.

Pronto, desabafei com vocês.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.