blog-post-img-622

Não tem nexo

Ok, talvez tudo sobre o assunto já tenha sido dito. Mas decidi escrever algo, de qualquer forma.

O caso já é conhecido: pessoa agride animal até a morte e é flagrada por milhões de pessoas via Youtube. Pessoas essas que se revoltam e que não medem seu repúdio ao comportamento horrendo testemunhado.

Para alguns, isso é surpresa. Para pessoas como a guerreira Renata Prieto, é corriqueiro. Sabem quantos Lobos, Titãs e Lanas as ONGs de proteção animal atendem? MILHÕES. Pra quem é protetor, a dor e a revolta sentida por cada um que viu o vídeo e pediu punição severa pra enfermeira (ou quis aplicá-la por conta e risco) é elevada à potência de X todos os dias.

Essa é a realidade.

Agora, a poeira “baixou”. Agora, as pessoas parecem minimizar o caso, em defesa da enfermeira. É absurdo querer linchar a mulher, absurdo desejar-lhe o mal – ou ao menos o mesmo sofrimento impingido ao cachorrinho. A frase mais dita para apaziguar os ânimos me estarrece. “Ela é um ser humano”.

Vamos todos fazer uma coisa? Vamos descer do pedestal. O ser humano NÃO é uma espécie diferente, superior, divina e afins. Apontam estudos: somos todos animais. E foi essa mania de grandeza, de acharmos que somos mais do que isso, que desembocou nesse absurdo.

Critiquem o quanto quiserem as reações exasperadas. Não seria nada bonito bater na mulher e igualar a selvageria; desceríamos à podridão da alma dela. Mas todos aqui sentem repulsa. E com a repulsa, vem o instinto primitivo de afastar o horror sem nome – às vezes, na pancada. É assim desde o início dos tempos.

Com o tempo, essa repulsa virou retribuição. Provavelmente ainda não elaboraram uma lei que apelasse mais ao íntimo de cada ser humano: “olho por olho, dente por dente, osso por osso”. Pra cada atrocidade que vemos no mundo, há aquela borboleta inquieta lá no âmago, gritando pra ver (ou fazer) o agressor sofrer na mesma medida em que fez sofrer o agredido.

Hammurabi morreu, sua lei virou letra morta, mas o espírito dela permanece em cada um de nós. Podem chiar. É o que tem pra hoje: caso você testemunhe algo que seja horrendo ou repulsivo (ou todas as anteriores), em algum lugar de você, essa lei vai GRITAR. Você tem todo o direito de exercer seu lindo controle racional, sufocar este grito e analisar friamente a situação; mas também tem direito de dar vazão, de alguma forma, a estes instintos. É pra isso que você sabe falar.

Foi EXATAMENTE o que aconteceu. Todos deram vazão como podiam – por saber que agir nisso seria simplesmente estúpido.

Desculpe podar as ilusões de quem está aí, lendo, mas vocês não são especiais só porque falam, imaginam, criam e andam em duas patas. Convenhamos que todos os animais desta Terra têm engenhocas de comunicação – que nós, os tão superiores, até hoje não entendem, enquanto eles já sacaram as nossas há tempos. Até de ônibus eles andam.

Não adianta dizer que só os seres humanos têm sentimentos, ou são racionais, ou whatever. A ciência comprova que todas as espécies possuem essas coisas. Ninguém precisa ler longos tratados cheios de termos técnicos pra entender isso: o Discovery Channel tem todas essas informações.

Vocês não sabem disso. Simplesmente não faz parte desse mundo. Peixes têm sentimentos? Sim. Mas você nunca saberá disso, enquanto só presta atenção neles mortos no meio do sushi. Entendam algo valioso: não é porque não conhecem algo, que podem simplesmente menosprezar seu valor.

E mesmo você, pessoa altamente religiosa que acredita cegamente que Darwin é o demônio, deve saber que Deus colocou todos os animais no mundo ANTES do homem. E Deus também mandou todos desfrutarem da Terra JUNTOS. Ele não disse que os homens eram prioridade, e nem colocou os bichos em categoria secundária ou terciária. De especial, na Bíblia, só Jesus Cristo.

Não digam que damos mais importância a animais que humanos. Isso é tão estúpido quanto falso. As pessoas que hoje estão fulas da vida com a tal enfermeira são as mesmas pessoas que queriam – MUITO – linchar o pedófilo de Luziânia. E muitas dessas pessoas estão por aí, caçando o Maníaco da Moto Preta e fazendo flagras do CET no Facebook. Também não posso esquecer que muitas dessas pessoas já tentaram algo contra o “bonitão” que quebrou o braço da moça na balada, só porque ela não quis ficar com ele. Crueldade nunca passa. Com ser indefeso, menos.

Não há como sustentar o argumento do “tratamento diferenciado”. O normal é não tolerar manifestações abertas de crueldade, ponto. Contra QUALQUER espécie. O normal é não tolerar mentiras, corrupção, preconceito e afins. Isso é inerente a todos, sejam eles caninos, humanos, amebas, ETs ou whatever.

Podemos passar eras aqui criticando o modo primitivo de manifestação a esse repúdio, mas vou resumir numa frase só: SOMOS TODOS ANIMAIS. Eu, você e o cachorro. Ele morderia se sentisse raiva de você – ou não, porque aquele yorkshire apanhou muito sem reagir; isso significa que ou ele leu a Bíblia e deu a outra face, ou ele realmente não era agressivo – e você pode muito bem ter lampejos de ódio e dizer “queria muito dar na cara desse ser pra aprender”. Acontece. Foi por isso que criamos um sistema normativo, pra não agirmos nesses instintos. E foi por isso que garantimos a liberdade de expressão, pra darmos alguma vazão a eles e nos aliviarmos – porque bicho reprimido é bomba-relógio, esperando pra detonar.

Imaginem se todas as pessoas que expressaram todos os pensamentos negativos sobre a mulher simplesmente ficassem quietas. Onde esta mulher estaria? Eu acho que ela NÃO estaria. Simples assim.

Sim, este sistema normativo que agiu rápido no caso e acalmou os ânimos revoltados e sedentos por Justiça. Sistema pífio e todo quebrado, precisando de (muitas) reformas. Mas feito de gente. Feito de animais como você e eu, que não toleram esses comportamentos na tal da sociedade e movem montanhas para que tudo isso seja erradicado. Como? Fazendo o sistema funcionar.

Bom… Pelo menos, nós tentamos. Com crianças, cães, gatos, carvalhos e rochedos. Isso é bem mais do que se pode dizer das pessoas implorando para o Rafinha Bastos uma piada de yorkshire ou fazendo memes engraçadinhos sobre o assunto no Facebook.

A grande tristeza é que, no fim das contas, grande parte da punição dela não virá por ter espancado o yorkshire até a morte. Como disse, nosso sistema anda quebrado e precisando de reformas. Sejamos práticos, sejamos animais sociais e não animais jurídicos prolixos; as leis ambientais, no quesito animais domésticos, são tão xoxas quanto bexigas muchas. E isso precisa mudar. Mas este é assunto para o próximo post – que sai logo, eu juro. Continuamos na quarta-feira.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

  • Lekkerding

    Deveria. Mas no fim… Ela era só um animal.
    Concordo que as penas deveriam ser mais severas. Ficos feliz pelo Ricardo Trípoli ter elaborado um projeto de lei nesse sentido.

  • Rodrigo Otávio Moraes

    Bom, ela eh um ser humano sim, e isso faz toda a diferença no caso.

    Ela DEVERIA saber melhor, AGIR melhor. Do que qq outro animal.
    Eh mais ou menos como a frase do tio ben para o jovem parker, “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”

    Ela detinha de grande poder sobre aquela vida, e portanto era responsavel pela manutencao.

    Deveria ser imputada uma das mais duras penas a uma pessoa que age dessa maneia.

  • Pingback: Um reflexo do que passou | TSL()

  • Pingback: E não tem nome | TSL()

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.