blog-post-img-505

O câncer do Lula e o câncer dos outros

Nossa, mais um texto. As coisas realmente estão movimentadas por aqui. Mas vamos ao que interessa – porque acho que a tropa dos Ursinhos Carinhosos não está olhando para este lado.

A notícia do tumor do ex-presidente Lula foi amplamente divulgada ontem, em todos os meios possíveis e imagináveis. As pessoas logo começaram a comentar, e o questionamento – inevitável – surgiu: por que diabos ele NÃO foi se tratar no SUS?

Antes que se pudesse desenvolver o raciocínio, a tropa dos Ursinhos Carinhosos repreendeu duramente o questionamento. Falta de respeito, ignorância, desumanidade, ressentimento, burguesite aguda e politicagem internética foram alguns dos adjetivos usados por colunistas e twitteiros pra classificar a questão.

Bom… Sem querer polemizar, mas já polemizando: a tropa dos Ursinhos Carinhosos deve ser agora a coisa mais preciosa no coração do Paulo Duque. Lembram dele? O douto parlamentar que arquivou as denúncias contra o Sarney na Comissão de Ética e disse que “opinião pública quem faz é o jornal”? Então. O jornal não me fez, desculpem.

Questionei, como muitos. Lula passou 8 anos defendendo o SUS de todas as críticas que recebia com a frase “o SUS é ótimo, e se eu cair doente, é pra lá que vou”. São palavras DELE, não minhas. Bom, ele caiu doente. Porque não manteve a palavra empenhada?

Não é a primeira vez que temos uma figura pública doente e tendo que escolher onde se tratar. Não que todos aqui queiram que o Lula morra. A coisa é mais simples. Yasser Arafat NÃO quis sair da Palestina pra se tratar em lugares mais avançados (e caros), e depois mudou de idéia. Sem crises aqui. Fidel Castro usa o sistema de saúde que ELE criou em Cuba. Mal não fez – ele está vivo, bem e cansando as pessoas com seus discursos longos desde… Sempre.

Por que o Lula não confia no sistema que defendeu com unhas e dentes? É o que quer saber a “opinião pública” – essa que segundo o parlamentar, não existe, e segundo a tropa dos Ursinhos Carinhosos, é “ignorante, ressentida, burguesa, fascista, revolucionária de sofá, má, desrespeitosa” e afins.

É normal questionar. E eu, que normalmente censuro as manifestações populares que presencio – convenhamos que na maior parte do tempo, vocês não são exatamente engajados – creio que seja necessário dar importância. Porque Lula passou 8 anos dizendo determinada coisa, aqui, ali, acolá. E as pessoas, votantes ou não, LEMBRAM, e cobram. Lembrem-se: questionar é parte da democracia, e ninguém está atacando a pessoa do Lula – não nessa questão. Censurar este questionamento é que é fascismo. Cuidado com a observação das coisas.

Para a nação que, até pouco tempo atrás, não lembrava dos candidatos votados nas últimas eleições, lembrar do que disse o ocupante do cargo e responsabilizá-lo pela manutenção da palavra é um avanço político para o povo. Todos deveriam reconhecer isso, e não oferecer reprimendas a torto e a direito.

Não sei de quem é o câncer: se da laringe do Lula, ou da parcialidade exagerada da mídia.

Agora, a opinião pessoal: ele tem toda a liberdade de se tratar no Sírio Libanês, que é realmente excelente no combate ao câncer. E todo mundo tem liberdade de questionar por que ele não mantém o que disse durante 8 anos e usa o SUS. Sabe o que seria ótimo? A resposta DELE – ele não pode falar, mas tem duas mãos (quase) inteiras pra escrever e mandar pra imprensa – sobre o questionamento que ELE está recebendo. Sim, porque o Gravataí Merengue respondeu, o Gilberto Dimenstein, e tantos outros… Mas a pergunta não é pra eles. É para o ex-presidente. E ele é grandinho, consegue se defender sozinho.

Digo mais:  as pessoas tem um mito mascarado no câncer. Se Alexandre Nardoni dissesse agora “tenho câncer”, seria automaticamente perdoado – porque a doença gera perdão e benevolência automática, como se a pessoa enfrentasse o pior do pior do pior do pior dos males do Universo (como o melhor do melhor do mundo, mas ao contrário). Não é assim. Câncer é uma doença besta, se formos olhar a ALD. Perto de todas as crianças que apareceram no Teleton neste ano, o câncer é nada. A gente vence, ou morre tentando, e é assim, simples. Acredite em mim quando digo isso, porque eu sei do que falo. E sem querer comparar, mas Patrick Swayze, Reinaldo Gianechinni, Hebe Camargo, Martinho da Vila, Sheryl Crow, Drica Moraes, Cynthia Nixon, Michael Douglas e outros famosos com o mesmo problema não receberam tanta atenção – e nem tantos defensores – quanto o ex-presidente Lula, quando questionados sobre suas decisões.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

  • Lekkerding

    Ah… Não acho. O PT tá muito em baixa. Seria chutar cachorro morto à toa.

  • Com certeza, gostei do blog e já está no feed 🙂
    Sim, amiga, mas para a grande maioria que entende muito pouco/nada de política isso causa grande efeito e é aí que se torna uma estratégia política. Acaba atingindo ao partido, isso é no senso-comum.

    Ps: vi que você adora política – eu tbm – e é acadêmica de direito – eu tbm rs

  • Lekkerding

    Oi Jéssica, espero que tenha gostado desse cantinho e que venha passear outras vezes! =D Deixa responder… Discordo, porque ao dizer que o Lula representa o PT, afirmamos que o PT nunca mudou – o Lula representa o partido das forças sindicais, das greves genuínas, da época em que a sociedade estava finalmente chutando as portas da ditadura. Dizer que Lula representa o PT é dizer que o PT continua sendo a extrema esquerda do país.
    E não é mais assim.
    Ele tem muita força, como símbolo da época de ouro não só do PT, mas da abertura política e da gênese do movimento sindical. Não dá pra negar. Mas Lula e PT hoje, depois do mensalão, são duas partes de um espelho quebrado.

  • Lekkerding

    Olá Roberta, seja bem vinda! Espero que volte mais vezes! =) Respondendo: a preocupação com a saúde do ex-presidente – deixando de fora as novelas e extremos e olhando a parte séria da coisa – é válida. Querendo ou não, temos que reconhecer o trabalho do Lula em levantar a bola do Brasil na comunidade internacional: passamos de republiqueta de bananas a potência reconhecida, e temos vantagens políticas e financeiras lá fora que nunca tivemos antes. Tanto Copa quanto Olimpíadas são fruto desse trabalho, e por ora, a única coisa que segura os eventos aqui, dado o desgosto da FIFA e do COI com as medidas tomadas pela Dilma, é o carisma do Lula. Precisamos nos preocupar – porque o que acontece com ele agora, influi diretamente no nosso bolso. E também influi na impressão que queremos passar pro pessoal lá de fora. Passou oito anos falando, e agora não usa? Então, SUS é bom ou ruim?
    Tem sua relevância. O problema é que tratamos a questão com tanta superficialidade que, como você disse, tudo vira novelinha no final. E só nós perdemos – mais uma vez mostramos que não sabemos conversar. Pra que os políticos vão prestar atenção na gente, ou obedecer? =(

  • “Sabe aquela estória que quando há algo de podre acontecendo no governo, um rebuliço alternativo se cria para desviar a atenção do público em geral? Pois é… I sense a disturbance in the force.”

    Concordo plenamente. Atacar o Lula é como atacar todo o PT, ele representa significativamente todo o partido, em parte essa valorização dessa notícia é sim política.

  • Gostei do seu blog e jeito de trabalhar com as palavras, Parabéns!
    Comentando sobre o assunto do post – Creio que estão fazendo muito em pouca situação, acho tudo parecendo um circo. Há coisas mais sérias e pertinentes para ser colocada em pauta e divulgada, mas cadê? Não existe possibilidade de divulgação dos atos que realmente frustrariam a sociedade e, mesmo que fosse, de forma sensata é que não seria. Eles sempre desvirtuam o foco de algo sério com a novela jornalística. Acho uma barbaridade sobre o ir e não ir para o SUS, todo mundo sabe que o sistema de saúde é desfalcado justamente pela incompetência dos governantes, mas acredito que para se revoltar sobre tal assunto deveria ser de uma forma séria, se possível diária, e não como uma espécie de piada e sensacionalismo. ;D

  • Lekkerding

    Também vejo a estratégia política na notícia, mas acho que seria bobagem colocar Lula como protagonista. Daria mais certo se fosse a Dilma doente, de novo. E sendo pra distrair, não surtiu efeito; a FIFA continua de olho no regime diferenciado de licitações pra Copa e a Polícia Federal anda com sangue nos olhos pra investigar os ministérios. Sarney que aguarde, do jeito que eles estão.

  • Lekkerding

    O Fidel não é um mero administrador, é defensor de toda uma ideologia – e da funcionalidade dela. Se ele saísse de Cuba para tratamento, seria o fim. Arafat enfrentou o mesmo dilema, mas sua questão era diferente; e chegou num ponto onde ou ele saía dali, ou não teria chances. Saiu muito tarde, e as chances morreram na mesa.

    E pensar que ele e Rabin quase trouxeram a paz pro Oriente Médio…

  • Lekkerding

    Obrigada pelos elogios, Luanne. Acredito que estamos todos muito emocionais pra analisar as coisas objetivamente. Por um lado, é realmente duro (e até frio) questioná-lo logo agora – ele recebeu a notícia de uma doença nada fácil de tratar e sem garantia de cura. Por outro lado, é necessário entender o que fez a posição mudar, ou se ela existiu de verdade, pra começar (porque se lembrarmos bem, ele já dizia que iria para o SUS caso ficasse doente na época da bursite. Não foi. Questionaram, e nenhuma resposta foi dada).

  • Lekkerding

    Gabriela, algumas considerações.
    1 – sim, todos têm o direito de mudar de opinião. Mas se você mantém algo por anos, e depois simplesmente muda, as pessoas à sua volta vão querer saber por quê – e com razão, certo? As pessoas à volta do Lula querem saber. É simples: ele só precisa responder. Acredito que uma manifestação simples termina a polêmica toda.
    2 – Você deveria conhecer as pessoas antes de fazer afirmações assim – eu disse pra acreditarem em mim quando tratei o assunto dessa forma. Há uma razão pra isso. Leia as entrelinhas.
    3 – Pode ser. Pode não ser. A questão aqui não é o que ele tem, não pra mim. É a resposta dele diante dessa mudança de posição. Podia ser câncer, podia ser um problema nos intestinos, podia ser soluço! Só quero saber por que ele mudou de opinião. Trollagens afins, passo.
    4 – Os Ursinhos Carinhosos podem até ter uma opinião. Mas não acredito que se possa formar uma opinião verdadeira, ou emitir parecer, tendo por base alguns elementos de amostragem – ou somente os elementos que te convém. Ninguém parou pra pensar no questionamento das pessoas, só leram as piadinhas pra falar “oh, horror”.
    5 – Eu desconfio. E você?

  • Gabriela Brazil

    Minha cara,
    digo várias coisas.
    1. todo ser humano pode ter dito algo na vida que não cumpriu ou mudou de opnião, afinal somos humanos e não robos engessados, duvido que vc mesmo não tenha mudado de opnião.
    2. o câncer não é algo tão banal.É ridículo querer comparar sofrimentos e doenças, cada um sabe a dor que se tem enfrentar, e digo mais vc ofendeu a todos que tem câncer ao colocá-lo como uma questão tão simples. Vc deveria realmente conviver com pessoas com câncer para perceber o que falo.
    3. a Mídia quer vender e não está nem aí se ele vai se curar ou não, mas quer ter notícia para divulgar, então a importância é dada conforme o peso da personalidade e vc está somente ajudando nisso tudo qd coloca a polêmica do sus.Giannechinni tb tem seu câncer divulgado e acompanhado por muitas pessoas, a ques†ão toda é que ele não vende tanto qt o Lula, além do que é inquestinável toda a trajetoria do Lula de superação e a superação de um câncer seria até um ponto a mais.
    4. Acho que a gente deve sempre questionar, desconfiar, criticar, mas cuidado nas palavras é essencial, e da mesma maneira que vc expõem suas idéias, os ditos “ursinhos carinhosos” tb o tem.
    5. culpem a mídia se elas utilizam as notícias para desviar a real atenção do que está acontecendo, existe muito mais interesses no que está acontecendo nos bastidores dos que constrõem opniões do que do governo em si, pois governar é tarefa muito mais complicada do que apenas discutir sobre o sus…desconfie sempre de tudo e de todos.

    abraços

  • Luanne

    Parabéns, muito bom seu texto!
    Concordo plenamente. Que bom saber que existe gente que pensa diferente da tropa dos Ursinhos Carinhosos (aliás, adorei o termo) e não necessariamente corrobora com os radicais que querem que o Lula morra.
    Por um discurso coerente dos políticos!

  • Você citou o Fidel, pensando bem, é mesmo. ‘-‘
    Bom post!

  • Fabiana Muliterno

    Sabe aquela estória que quando há algo de podre acontecendo no governo, um rebuliço alternativo se cria para desviar a atenção do público em geral? Pois é… I sense a disturbance in the force.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.