blog-post-img-6340

Oscar 2015: apostando nos atores e atrizes

Ahá! Subindo as escadas do fim da saga com o Rocky faz um bem danado. Então vamos terminar essa saga, né? Hora de falar de Melhor Ator e Melhor Atriz.

Meninas primeiro, porque girl power rules. As indicadas deste ano são Reese Witherspoon (Wild), Julianne Moore (Still Alice), Rosamund Pike (Gone Girl), Felicity Jones (The Theory of Everything) e Marion Cotillard (Deux Jours, Une Nuit).

Todas estas mulheres foram esplêndidas em seus papéis e não tem um – UM – defeito que se possa apontar em nenhuma das performances. Aqui não é questão de quem foi menos, mas de quem foi sayajin mesmo.

Alguém duvida que a Julianne Moore vai levar? Ela não perderia aqui nem que Meryl Streep estivesse concorrendo com um remake d’A Escolha de Sofia. Ela foi além do além do além e despertou a fúria que existia nela. Deu na Alice, e deu na performance monstruosa de tão boa. A única adversária séria dela (sem ofensas, moças) é a Marion Cottilard, que deu uma performance de tirar o fôlego. Ainda assim, não acho que seja páreo para a Alice. Aposto tudo na Julianne Moore.

2015-02-19-Moore

E para os meninos, os concorrentes são Steve Carell (Foxcatcher), Bradley Copper (American Sniper), Benedict Cumberbatch (The Imitation Game), Michael Keaton (Birdman) e Eddie Redmayne (The Theory of Everything).

De novo, ninguém fez nada “de menos”. Todos estão excelentes – apesar das injustiças, acho que esse ano os velhinhos da Academia reconheceram bem o material que tinham. Mas não acho que Steve Carell e Bradley Cooper tenham chances reais – Steve é um ator de TV, e os velhinhos tem muito preconceito com isso. Eles terem engolido o orgulho e indicado já é um passo enorme, mas acho que as sandálias da humildade da Academia acabam aí. E o Bradley Cooper estava muito bom e muito bem, mas ele não foi extraordinário para os padrões que ele mesmo estabeleceu em seus filmes.

O Oscar tem uma tradição de premiar os atores e filmes que representam bem minorias e situações trágicas de vida. Para as atrizes, isso favorece (e muito) a Julianne Moore – ela não precisa desse incentivo pra ganhar, mas isso deixa a goleada dela mais fácil. Para os atores, é uma tristeza para Michael Keaton: sua tragédia pessoal, embora brilhantemente retratada, não é páreo para a ALS do Stephen Hawking, nem para a injustiça sofrida por Alan Turing. Eddie Redmayne e Benedict Cumberbatch são os grandes favoritos, pelos padrões do Oscar.

Redmayne foi incrível em The Theory of Everything. Nem adianta negar isso. Mas Benedict Cumberbatch foi esplêndido em The Imitation Game. Eles estavam maravilhosos, ambos mexeram muito com o espectador, ambos foram sayajins, e…

EU NÃO POSSO ESCOLHER, NÃO ME OBRIGUEEEEM!

EU NÃO POSSO ESCOLHER, NÃO ME OBRIGUEEEEM!

Não dá. De novo, não dá. Vou distribuir as fichas assim: 40% para Cumberbatch, 40% para Redmayne e 20% pra Keaton (correndo por fora, mas correndo).

tumblr_n92gthKfsx1qewsw4o2_500 tumblr_ni1bxeIMHa1rdqbfro5_500giphy (7)

Agora sim, a gente chega ao fim da saga. Todas as nossas apostas desembocam aqui: no Melhor Filme. Mas este fica pra próxima. Até já.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.