blog-post-img-964

Para onde vai o meu voto – parte 1

Bom, cá estamos. E as eleições também. Doze são os loucos que querem administrar a cidade de São Paulo. E cada um de nós tem lá sua preferência. Eu tenho a minha, e vou contar a vocês agora.

Essa pessoa fez escolhas que eu não faria, falou coisas que eu não diria. Mas sempre falou o que pensava. Um ser sincero, comigo, com todo o resto, e consigo mesmo. Pra mim, o caráter já está provado. Falo de Sônia Francine Gaspar Marmo, a Soninha.

Sou da geração que viu Soninha, Cazé, Massari, Sabrina, Gastão e Thunder comandando a MTV. A geração que achava a Cris Niklas super fofa, a Cris Couto linda e o João Gordo excelente.

Os rostos que disputam a Prefeitura este ano me são familiares. Eu via o Celso Russomano no Aqui Agora, e vejo o Serra desde… Sempre. Eu via o Fernando Haddad no governo Lula. Cansei de ver o aerotrem do Levy Fidelix.  Cansei de ver o Paulinho da Força em 1º de maio. Chalita foi meu professor. Mas ser familiar não me garante capacidade. Vamos aos fatos.

Não entro no mérito das alegações estúpidas – sim, estúpidas, imbecis, esdrúxulas, idiotas e inúteis – para não votar na Soninha. Vocês já conhecem esta que vos fala o suficiente pra saber que aqui, não se fala de imbecilidades. Falo apenas do que diz respeito à capacidade dela de administrar a cidade.

Primeiro: dizem que votar na Soninha é jogar o voto fora. Não é. O que você prefere? Mostrar que queria essa pessoa, ou votar nulo e ser sumariamente jogado no lixo? E nessas, de todo mundo realmente votar em quem deseja… Vai que ela entra. A Soninha tem propostas práticas para São Paulo. Coisas simples. Viáveis. E o mais importante para nosso lindo município quase falido: baratas.  Se ela conseguir o cargo, marcaremos muitos pontos para São Paulo.

Dizem que ela não tem experiência, o que é uma mentira. Ela já serviu mandato como vereadora, já serviu em subprefeitura – que é uma mini-prefeitura, ou seja, ela sabe o que fazer – e já esteve à frente de uma autarquia estadual. Se tem algo que ela sabe fazer, é administrar as coisas públicas.

A Soninha não está falando de obras arquitetônicas, como o Aerotrem. Não está falando de pílulas mágicas que só vão prejudicar a cidade, como o Bilhete Único de $100 mensais. Ela não trouxe ideias mirabolantes, como o táxi-lotação. Sabe o que ela trouxe? Planos. Uma forma adaptada do BRT. Continuidade do IPTU progressivo. E o “pedágio urbano” – eu sei, você não quer gastar mais com seu carro. Mas eu ando de ônibus, e concordo com a Soninha quando ela diz que seu carro ocupa demais do espaço que é de todos, então você precisa dar algo em troca pelo seu espaço Deluxe.

Bom, a Soninha quer dar utilidade para a GCM. Ela tenciona informatizar o SUS. Quer facilitar a obtenção de documentos para o comércio. Ela pretende impulsionar economia, segurança, educação, saúde, transporte… Ela quer dar um gás na cidade. Quer fazer o que temos funcionar. E o melhor de tudo? Ela aceita sugestões, e está presente em todo canto para recebê-las – é ela quem gerencia todo seu material de campanha.

Ela tem projetos. Não são promessas. Ela quer saber o que acontece, e apresentar medidas. E esta postura demonstra capacidade. Afinal de contas, o que buscamos num administrador? Alguém que traga resultados eficazes com um bom retorno, e com responsabilidade. Alguém que possa fazer funcionar. Sampa merece funcionar. Acredito que a Soninha seja a administradora mais capaz apresentada nestas Eleições. Ela quer fazer as coisas funcionarem. É disso que precisamos. Não de promessas, mas de que as coisas FUNCIONEM.

Vejo semelhanças.

A Soninha não pagou este post, e duvido muito que ela vá ler isso. Ela está ocupada em campanha e não tem tempo pra essas coisas. Sinceramente: vou votar nela. É minha primeira opção. Se você concorda, lembre do número dela na hora da urna. Aguardem que falarei da segunda opção. E depois falarei do que NÃO é opção pra Sampa funcionar.

Resolvi trazer a tia Madonna aqui. O recado dela é importante. Isso não é um teste, e menos ainda ilusão. É hora de mandar, povo. Hora do processo seletivo para administrar a sua cidade.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

  • ezequiel fernando guimaraes

    A Soninha é uma grande mulher que admiro muito. Sou um discipulo que lhe acompanho

  • Sonia Santus

    Meu voto é da Soninha desde o começo, e em nenhum momento mudei de opinião. Além do mais é surpreendente que uma candidata a prefeitura lembre de falar dos direitos dos animais. Neh?

  • Pingback: Para onde meu voto NÃO vai – parte 3 | TSL()

  • Pingback: Para onde meu voto NÃO vai – parte 2 | TSL()

  • Pingback: Para onde meu voto NÃO vai – parte 1 | TSL()

  • Paula! Conta pra ela que não tem nada que ter vergonha da Soninha. Ficamos felizes por encontra-la justamente ontem no metrô, logo depois de termos lido este blog. Um beijão pra vocês e nosso obrigada sempre.

  • Lekkerding

    Confesso que tenho inveja desse encontro – but then again, eu vejo o Gastão, o Massari e às vezes a Sabrina aqui, mas tenho vergonha de falar com eles. Imagine com a Soninha.

  • Lekkerding

    Nossa, obrigada! Não quero incomodar, ela está cheia com a agenda. Aposto que o desempenho do debate a deixará ainda mais atarefada.

  • Paula Fernandes Rocha

    Concordo em número, gênero e grau. E conforme já te disse, encontrei a Soninha no metrô e ela leu sim (!!!) esse texto. E adorou! E eu que leio sempre, adoro sempre.=)

  • vim agradecer em nome da Soninha. Ela lerá, mandarei a ela. bjs

  • Pingback: Para onde vai meu voto – parte 2 | TSL()

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.