blog-post-img-502

Pobreza e violência

Alô vocês, que provavelmente não achavam que eu voltaria tão cedo. Também achei que tinha tempo de sobra para preparar um texto bacana – e não tão revoltado – quanto o último. Mas a Humanidade adora exibir seus exemplares mais pobres e podres na minha frente. E graças a isso, vocês ganham mais um membro do “ilustre” Panteão dos Parvos.

Vamos à situação: são 21:00. Você, pessoa super cansada do trabalho, com um pouco de febre e tarefas pendentes, está na cozinha de sua casa preparando um chá – mate de limão com leite, recomendo vivamente – quando seu cão começa a latir. Ah, o seu cão. Digamos que não é exatamente o canídeo mais sociável do planeta. Mas é um cão de guarda e já foi herói da rua algumas vezes – porque foi o latido incansável do Cão Chatão que alertou sobre furtos de carros em andamento, e até uso de drogas pelos hipsters da rua.

Pois bem, seu cão está latindo. Há um homem estranho fazendo xixi pelos muros da rua. E seu cão não gosta nada disso. Como ele não pode passar pelas grades do portão e aniquilar o mijão, o que seu cão faz? Ele late. E late. Ele vai latir até você aparecer pra tratar do assunto. Mas antes que você tenha essa oportunidade, um estouro.

Um tiro, será? Você corre pra ver – e chega ao portão no exato momento do segundo estouro. Não era um tiro. Era um ovo. Na cabeça do cão. OVO. CRU. E antes que você possa balbuciar qualquer palavra de horror, vem o terceiro ovo.

Pois bem. Agora, você tem um telhado danificado, um cachorro machucado e três ovos fedidos e quebrados no quintal. Você sabe quem fez isso? Infelizmente, sim: foi o vizinho da frente, que se diz “diferenciado” por pagar quase 3 mil reais em condomínio e ter uma piscininha nos fundos do prédio. Um vizinho que não gosta do cachorro latindo e que já até tentou cegar o cachorro com aquelas canetinhas de laser – mas nunca, NUNCA, tocou sua campainha pra dizer “ei, seu cachorro incomoda”.

O mais legal é que, ao reclamar, você percebe que todo o condomínio – começando pelo porteiro, que te trata mal e ainda se faz de coitado enquanto ri de você no interfone com o morador suíno – protege o animal que fez isso. A coisa fica melhor: olhando nos seus olhos, o morador suíno diz “você está imaginando coisas, mas talvez nada disso ocorresse se você silenciasse o cachorro”.

Agora, fica a pergunta. O que incomoda mais? Crimes ocorrendo, gente mijando nos muros, marchas particulares da maconha nas calçadas, ou um cachorro latindo pra espantar tudo isso?

É o tipo de coisa que me revolta: POBREZA. Porque essa pessoa é miserável o suficiente pra maltratar um animal, humilhar uma pessoa e ainda sair sorrindo, totalmente convencido de que nada vai acontecer. É pobre o suficiente pra dizer “prove que eu fiz, e enquanto tenta provar isso, livre-se do cachorro”. Cadê a comunicação? Cadê o bom senso? Porque em anos na mesma praça, no mesmo banco, nas mesmas flores e no mesmo jardim, ninguém – NINGUÉM – disse, nem uma vez: “o cachorro late muito”.

Se é válido atirar ovos crus na cabeça de um cachorro – e se você teve adolescência, sabe que ovo jogado dói – então faz todo o sentido atirar óleo fervente em cada idiota que resolve soltar fogos e gritar como Dom Pedro às margens do Ipiranga cada vez que algum time faz gol. Encher o idiota do ônibus que ataca de DJ do funk com seu celular (sem fones), também pode. Podiam ter dito antes: muita gente perdeu o celular na minha mão pela CPTM. Se eu soubesse que era liberado atirar a pessoa na linha do trem por isso, faria de bom grado.

É isso. O pior é que pode acontecer com qualquer um que tenha vizinhos que se acham melhores que qualquer organismo vivo nesse planeta, a ponto de não precisar usar palavras. E é por isso que este ANIMAL entra para o Panteão dos Parvos: porque conseguiu se mostrar pobre, estúpido e imbecil o suficiente para estar aqui, sem uma palavrinha que fosse.

Era só um desabafo. As implicações destes eventos, vocês verão nos próximos capítulos – ou acharam que eu ia esquecer do meu grande amigo Poder Judiciário? Jamais. See ya.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

  • Lekkerding

    Não merece nada.E vou até o fim com isso.

  • Maria Gomes

    Rafa, uma pessoa assim (se é que podemos chama-la de pessoa) não merece o minimo de respeito, estou contigo nesta luta, parabéns pelo espaço.

  • Lekkerding

    O morador suíno tem um leve sotaque capixaba.

  • É por essas e outras que muitas vezes não gosto das pessoas que vivem em SP….
    Com honrosas exceções!

  • Lekkerding

    É nessas horas que a vida entrega aquela mensagem espetacular. “Sempre pode ser pior”

  • Lekkerding

    A síndica não libera o nome do aqualirado sem ter o TCO – o que teremos em alguns dias. Sabe o que é pior? A cachorra não é de latir à toa, e tava se matando de latir porque tinha um cara fazendo xixi no muro do dito prédio. Vê como são as coisas? Ela tentou ajudar e ainda levou ovada.

  • Lekkerding

    Eu não moro nesse prédio – se morasse, o ser estaria morto. Moro na casa em frente. Preste atenção na falta de respeito: Ele atirou ovos no vizinho da casa em frente ao prédio, bem longe de onde ele mora. Eu não quero imaginar o trabalho que esse ser teve pra acertar três ovos aqui, mas ele não quer imaginar o inferno que a vida dele vai virar agora. Vou fazer uma brincadeira chamada “Da próxima vez, seja gente”. Ele vai fazer o papel do Rafinha Bastos, e eu vou brincar de Marcos Buaiz.

  • rafael

    Impressionante. Sempre imaginei que fosse ruim morar em casa do lado de prédio..

  • Nicolay

    Hey, isso é um absurdo! Eu já tive cachorros e sei como é quando eles fazem barulho com ou (aparentemente) sem motivos. E não só isso, (quase) todo mundo tem vizinhos, todos vivem em uma sociedade… Já deveriam ter aprendido a viver numa.

    Manda o IP do meliante que eu dou um jeito, pelo menos nas informações dele. ¬¬ [1/2brinks]

    Beijo, parabéns pelo espaço aqui, de muito bom gosto! ;D

  • Leo Ferreira

    Adorei!

    Pessoas “pobres” como esta, do seu condomínio, deveriam perpetuar para todo o sempre o escuro do buraco do nada, e assim, dar a nós, a alegria de desaparecer da face deste planeta chamado de terra, o qual habitamos temporariamente.

    O que fazer neste país?

    Acessar os mecanismos de defesa legais e jurídicos, ou responder em ofensiva na mesma palavra, tacando na casa do vizinho da frente alguns ovos cheios de fezes? (esses serão pelo cachorro machucado, que não teve culpa de nada).

    Estou revoltado igualmente.

    Continue compartilhando conosco os detalhes de desfecho dessa história terrível.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.