6 coisas que faço sendo mulher – e dane-se o ismo alheio

blog-1-img-1913
09 Ago

6 coisas que faço sendo mulher – e dane-se o ismo alheio

Não enxergo o mesmo mundo que a maioria. Eu nasci do avesso e não ligo para convenções sociais. Esta é a época que combina comigo; o mundo se tocou que somos todos iguais e merecemos respeito na mesma proporção. E gente como Legião é esculachada por pensar de outra forma. Mas aí... Listas como esta aparecem. Licença, mas nunca deixei de fazer essas coisas “por...

blog-1-img-1393
15 Mar

Legião de Machismos

Sábado passado foi Dia Internacional da Mulher. Todo mundo deu flores, exaltou a “feminilidade”, lutou por direitos, foi lindo. Até a Globo mandou recadinho. Que maravilha. Mas nem tudo é 8 de março. E exatos sete dias depois, já voltamos à palhaçada de costume. E por essa palhaçada, vocês ganham – em detrimento dos meus estudos para a OAB, de textos para o Hipnoseries e...

blog-1-img-1160
17 Jun

É difícil de engolir

Resolvi contar essa história. Aconteceu nessa Sampa tão “querida” da gente. A passagem ainda era $3 e todos estavam vivendo suas vidinhas. Estava eu no ônibus, sentada atrás de um senhor idoso. Não tão idoso assim: não aparentava mais que 60 anos. Um grupo de ciclistas mudava de faixa na Av. Paulista. E este senhor começou a falar alto, xingando os ciclistas. Quando digo “falar...

blog-1-img-1123
07 Jun

A polêmica do nascituro

Direto ao assunto: o Sakamoto criticou o chamado “Estatuto do Nascituro”, e ao opinar, deu até uma pitada de preconceito. “Inferno e o limbo não existem. Mas não é todo mundo que sabe disso.” Uma frase desnecessária, que coloca religiosos – católicos, protestantes, espíritas, umbandistas, budistas e afins – no mesmo balaio: o dos idiotas. Ainda afirma que dado nicho tem um conhecimento superior aos...

blog-1-img-1097
23 Jan

Onde você guarda o seu machismo?

Parem as máquinas. Algo precisa ser dito. Hoje, uma manchete da Veja – nem sei por que isso ainda existe – chamou minha atenção com estes dizeres: Delegado carioca ataca mulheres policiais pelo Twitter. Li a “reportagem”. Como não se pode confiar no que diz a Veja, fui pesquisar em outros locais, sem sucesso. Acho que o jornalismo morreu – ninguém informando nada, só dando...