blog-post-img-550

Top 6 Fails das Eleições

Alô você, que ontem levantou às 16:30 e saiu voando de casa pra não se incomodar de justificar ou pagar a multa durante a semana, ou que viajou e pediu voto em trânsito, ou simplesmente chutou o balde, deu uma de Dudu Pelizzari e não fez ABSOLUTAMENTE NADA. Agora, acabou.

Estamos livres da era das bobagens políticas ditas por quem nada sabe, mas tem opinião pra tudo, da militância sem limites, dos pseudo-trolls diplomados em Ciências Sociais que realmente acreditam que nada dito na internet traz conseqüências (ok, essa foi pessoal), enfim. Já foi.

Já sabemos quem serão os administradores da nossa pátria amada nos próximos anos. Governadores, senadores, deputados e a presidente – e quem vier me falar de presidentA vai saber a medida do meu amor ao vernáculo pela vingança.

Com tudo definido, vamos às lembranças que as eleições de 2010 deixaram. Acredito que este período eleitoral foi um dos mais cômicos da história do Brasil, pelo tanto de gafes cometidas, paródias montadas, situações descabidas, enfim. Vamos relembrar? Escolhi 6 tópicos que simbolizam mais a comédia eleitoral brasileira. E se você tiver um destes no gatilho, é só sugerir nos comentários. =)

O Pedro de Lara da política – candidato pelo PSOL, Plínio de Arruda usava e abusava do riso, da ironia e da alfinetada com perguntas incisivas e diretas aos adversários, para depois zombar suas respostas. Chamou Serra de hipocondríaco, Dilma de fabricada e Marina de romântica e inocente, e tudo na cara. Depois de sair da corrida presidencial, continuou comentando sobre o cenário político no Twitter, e fechou o período eleitoral com chave de ouro, no UOL. Veja só uma coletânea de melhores momentos do Plínio:

E quem nunca ouviu isso mentalmente com a entrada do Plínio em cena, que atire a primeira pedra.

O Comedor – quem diria, não? Comparado frequentemente ao Sr. Burns, Dráuzio Varela, Tio Funério e outros personagens no mínimo estranhos, Serra surpreendeu nessa campanha, com uma afirmação nada ortodoxa. Quem diria, hein? E salve-se quem puder, pois não há imunidade contra o apetite voraz de José Serra.

O incrível projétil de celulose – o suposto ataque ao candidato José Serra, no Rio de Janeiro, foi um dos episódios mais hilários desse período eleitoral, com direito a fake perícia de vídeo, exame caro feito, etc etc etc. Dizem por aí que a Televisa veio estudar o caso pra incorporar em sua próxima trama – e se for verdade, Sílvio Santos, traga esta novela mexicana pra nós!

Especulações à parte, a expressão “chorar à la Serra” está gravada nos anais da história política brasileira.

Jingles de campanha – não é segredo pra ninguém que essa é a parte da campanha onde os publicitários dos partidos NÃO usam sua critividade. E enchem as ruas, as rádios, a TV, o Youtube e sabe-se lá mais o quê com aquelas musiquinhas sem sentido que tem como única função grudar o nome e a legenda do candidato na nossa cabeça. Elas nunca tiveram muita qualidade, mas nestas eleições, a falta de senso na composição passou todas as fronteiras de senso do ridículo. Quer ver? Olha que seleção linda.



ISSO dá vontade de fazer besteira na urna e votar nulo.

A guerreira da Corrupção – sem dúvida, um momento épico. A candidata chamada de laranja, por ocupar na última hora a vaga que era do marido, Joaquim Roriz, considerado ficha suja e impedido de disputar o governo do Distrito Federal, não tem experiência política. Por seu desempenho nos debates, é bem provável que não tenha experiência nenhuma. Confira a máxima de Weslian:

Visão além do alcance – olha ela aí, a presidente. Essa compilação de erros – obviamente editada e manipulada pra dar nesse show de gafes – culmina numa frase espetacular. Como Weslian, Dilma entrará para a História com essa. Confira.

Então, por enquanto é só. Espero que todo mundo possa rir disso, porque o mundo não dá muitas opções para alegrias ultimamente. Até a próxima!

Lekkerding 236 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.