blog-post-img-913

Trip & Fun – ou o mais novo problema do consumidor

Olás. Como estão vocês? Eu estou atolada de coisas a fazer. Aquele que tiver o segredo do dia de 48 horas, favor enviar amostra.

Não posso deixar de tecer alguns comentários sobre o que ocorreu com a agência de viagens Trip & Fun. Pelo que entendi, a empresa teria fechado as portas e deixado cerca de 6 mil clientes (não) vendo navios (ou aviões, ou elefantes, ou praias, ou o Mickey). Aí publicaram nota no site informando suspensão de atividades e cancelamento de embarques a partir dali e que os clientes só seriam reembolsados “após a reestruturação”.

Suspeito, diria Sherlock Holmes. Aí fiquei sabendo que grande parte das pessoas chupando dedo contrataram a empresa por escolas. É normal, toda escola recomenda ou mesmo tem negócios com dadas agências de viagem pra facilitar as viagens de formatura, excursões, acampamentos de férias, etc etc etc. A Trip & Fun tinha negócios com várias escolas, e muitas viagens foram fechadas assim. Mas enfim. Soube ainda que essa empresa tinha contatado as escolas, pedindo ajuda pra pagar as viagens fechadas. Dada a bagunça que virou… Suponho que a resposta das escolas tenha sido “não”.

Soube ainda que isso virou caso de polícia. Em Sampa e em Campinas, a Trip & Fun é investigada por estelionato, o clássico 171 do Código Penal (acredito eu que é este o artigo enquadrado, mas são várias as modalidades de “dar chapéu” nos outros pelo Código).

A última coisa que soube – e que achei terrível, por isso resolvi abrir a boca – é que nem o Procon consegue dar conta de prestar informações a quem levou chapéu da Trip & Fun. A bagunça é tanta, mas tanta, que o pobre Procon não sabe nem por onde começar a tratar. Bom, até sabe, mas fica difícil cuidar de seis mil (e crescendo) golpes assim.

Então, vou tratar algumas coisas em linhas gerais. Antes de começar, vamos deixar uma coisa clara: eu não vi nenhum dos contratos assinados entre Trip & Fun e pessoas querendo viajar. O que vou colocar aqui não é ciência exata.  Quer saber exatamente o que fazer? Procure um advogado. É ele quem vai salvar sua vida (ou pelo menos tentar). E leve o contrato assinado. Só lendo o que vocês andaram assinando pra ter dimensão exata do estrago.

1 – o Procon age pela coletividade, não pelo seu precioso tempo, então não irrite

Tem gente falando mal do Procon aos quatro ventos, porque ele não está ajudando. Entendam: o Procon age pelo coletivo. O coletivo não corresponde ao seu umbigo. No momento, o Procon precisa colher dados para saber o que fazer por SEIS MIL PESSOAS, isso em estimativa. Se você já acha que 100 pessoas numa festa já é gente demais pra tomar conta, faça o favor de imaginar como é tomar conta de seis mil. Se quer brigar pelo Procon, a escolha é sua, mas respeite o órgão.

2 – Não cancele nada

Soube que as escolas estão orientando algumas pessoas a cancelarem os contratos. NÃO FAÇAM ISSO. Não deixem de comparecer ao aeroporto no dia da viagem, não deixem de formalizar a vergonha da proibição de embarque e não deixem de registrar o B.O. no aeroporto. Simples: se você desiste do contrato, você não tem dano nenhum, certo? Se não tem dano, não terá do que reclamar ao Judiciário. Então, não cancelem nada. Pra quem já pagou tudo e tem os dados todos de viagem, é isso que deve ser feito. Pra quem ainda está pagando, fica a dica do Procon: se o pagamento é pelo cartão de crédito, suspenda. Se for cheque, só é possível sustar após registro de boletim de ocorrência e o envio deste documento ao banco. Registrem todos os problemas derivados da caquinha da Trip & Fun. Pra quem ia começar a pagar viagem… Aí sim, cancelar tudo é a palavra.

3 – A escola pode ser responsável

Como disse acima: é normal a escola oferecer ou recomendar agências de viagem. Mas pelo que soube, algumas escolas fizeram um pouco mais que isso com a Trip & Fun. Em alguns casos (repito: linhas gerais, precisamos ver caso a caso com um advogado), a escola pode ter intermediado o negócio – o que significa que ela toma parte no que foi celebrado, e consequentemente, é responsável pelo desfecho da coisa toda.

4 – Guardar é a chave

Toda documentação relativa ao contrato é necessária. Sabe aquele e-mail da Trip & Fun esclarecendo data de pagamento? GUARDE. Aquele folheto de propaganda com o plano de pagamento grampeado? GUARDE. A nota fiscal da mala nova que foi comprada exclusivamente para férias em Cancun pela Trip & Fun? GUARDE. Guarde tudo que tem a ver com a viagem. Pode ser útil depois.

5 – Detalhes são tudo

Cada contrato assinado tem lá suas particularidades; então, muita atenção. O que funcionou para o vizinho que comprou um pacote pra Cancun pro 3º ano do colegial pode não funcionar pra quem comprou a viagem de férias na Disney. Então, repetindo: repassem o bendito contrato com um advogado antes de fazer qualquer coisa.

6 – Não fique em casa esperando o fim do mundo

Junte tudo o que tem e corra para o Procon, se quiser. Se não estiver confortável com o Procon e não puder arcar com honorários, busque a Defensoria Pública. Se puder pagar, encontre um advogado bom em direito do consumidor. Mas não fique em casa aguardando resposta de reclamação por e-mail da Trip & Fun. Não fique esperando retorno do Reclame Aqui. Não tente fazer acordo com a Trip & Fun ou com a escola. Esta é uma daquelas terríveis situações da vida, onde o estrago está feito e não tem conserto. Acordos e reclamações não ajudam mais. O único jeito aqui pra quem assinou com a Trip & Fun é o Poder Judiciário.

Lembrem-se: estas são linhas gerais. Meu nome não é Morgan Le Fay, não tenho o dom da vidência e menos ainda sei o que andaram assinando. Repassem seus contratos com um advogado, pra saber melhor o que fazer. O que posso dizer, em linhas muito genéricas e com base no que está na imprensa, é isso. Realmente espero que essas coisinhas possam ajudar quem levou chapéu da Trip & Fun.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

  • É aquele tal negócio, o povo entra em fria. Daí correm pra cima e pra baixo e querem resolução do problema PRA ONTEM.
    Não é assim. Bom post Rapha!

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.