blog-post-img-1969

Um vexame de proporções eleitorais

Cá estamos para mais um post. Adivinhem o assunto. Eu geralmente falo durante a corrida eleitoral. Dessa vez? Nem um pio. Eu fugi disso como foge o demonho da cruz. E acho eu que o debate de ontem explicou – bem – as razões dessa fuga desenfreada. Essa corrida eleitoral inteira deveria caber num Panteão dos Parvos. Os candidatos perderam o mínimo de senso que tinham. Não houve noção do ridículo, do respeito, de nada.

Os eleitores? Não estão melhores. É, vocês mesmos. E eu falei em junho, gente. JUNHO. Que estava na hora de parar com essas bobagens maniqueístas categorizadas que vocês chamam de política e conversar de verdade sobre. Falar, ouvir, questionar, não levar trololó pra casa de resposta. Fui profeta: Política virou filme da Disney. É o bem contra o mal, a esquerda contra a direita, a princesa contra o vilão, os heteros contra os LGBTs, os ambientalistas contra o agronegócio, as empresas contra os trabalhadores, os fumantes contra os não fumantes, os que gostam de rosa contra os que gostam de verde, os notívagos contra os diurnos…

Chega, gente. A Disney já pediu pra parar.

Chega, gente. A Disney já pediu pra parar.

Pare de rir. Não tem graça. Este é o nosso cenário eleitoral. Temos os candidatos – um pior que o outro. Um candidato, além de idiota e pobre de espírito, cometeu um crime na cara de todo mundo e saiu rindo; a candidata que fez a pergunta, que é advogada, SABE que poderia e deveria dar voz de prisão na hora, ficou com cara de paisagem; a candidata do coque mente cinicamente na sua cara e você acredita; o candidato pastor fala tanta asneira que deve ser esquizofrênico; a candidata-presidenta mente na sua cara, tenta levar o crédito pelos atos dos outros e fala que tem autoridade onde não serve nem pra buscar o cafezinho; o candidato-galã de novela não poderia ser mais hipócrita e não poderia ter menos noção do impacto das ideias que pretende levar a cabo. Tem o candidato hipster, verdade. Mas a ele, falta autoestima política.

E temos os eleitores, mais perdidos que cegos em tiroteios na Rocinha. Ninguém se informa antes de falar. Ninguém sabe mais o que diz e sobre quem diz. Gente, isso é inútil.

Domingo é dia de votar. E você ainda não sabe por que vai votar no Fulano. “Ah Fulano é de esquerda/direita/whatever, por isso vou votar nele”. Acorda, Brasil. Isso não existe aqui. Vai votar por quê? Tem uma razão pra isso? Você sabe o que Fulano quer fazer? E essas propostas do Fulano, te ajudam ou te atrapalham? Você sabe quem você elege para o Legislativo? Você sabe o que vai fazer o seu deputado? Acorde. Por favor, ACORDE. Faltam 5 dias pra você acertar ou azedar o molho pra TODOS NÓS. Acorde e pense no que vai fazer. Não vá lá criar modinha. Não vá votar no Levy Fidelix ou no Raio Privatizador “porque é divertido”. Eu não vou achar divertido passar 4 anos com estes parvos tomando minhas decisões.

tumblr_mp4fhwInxz1rx419io1_400Sinto que domingo estaremos todos na merda, porque vocês não pensam. E gente como Levy Fidelix explora isso – ele sobe ali, fala um monte de asneiras, vocês acham bonitinho, e sempre lembram do tio do Aerotrem. Eu quero esquecer o tio do Aerotrem. Quero esquecer também a candidata do povo, que se afirma advogada, que usa esse título constitucional de indispensável à administração da Justiça e que sabe o que deveria ter feito, e nada fez. Quero esquecer essa gente que fala em “união civil” e “casamento gay” e que faz vocês acreditarem que isso existe, quando não é assim. Eu não quero tomar parte nesse circo infernal.

Isso que estamos vendo e vivendo? Não é política. É circo. E eu não sou palhaça.

Falando da parte jurídica da coisa: Levy Fidelix ontem cometeu crime, sim senhores. É uma injúria eleitoral – pode esquecer o Código Penal aqui, porque a lei especial vem na frente. Ele usou meio aviltante pra ofender dignidades e o fez de forma a facilitar a divulgação dessa injúria. Traduzindo: ele insultou todo mundo, de um jeito bem complicado – sem chance de defesa – e usou uma plataforma que só vai replicar essa ofensa, até os confins do Universo (comecem a contar quantos vídeos surgiram instantaneamente no Youtube, quantas reportagens citaram suas palavras diretamente, etc. Isso só tende a se propagar). E como a Luciana Genro nada fez ali na hora, todo mundo tem que se virar. Se você se ofendeu com o que ele disse, e essa ofensa atingiu a sua dignidade como pessoa, meus parcos conhecimentos dizem que você deve:

1 – procurar um advogado e avaliar com ele as chances de perseguir isso na esfera civil, porque foi um abalo indenizável;

2 – procurar o cartório eleitoral mais próximo, pra saber como proceder ao registro da ocorrência;

3 – procurar a delegacia mais próxima pra registrar o boletim de ocorrência (eu não sei se cabe, mas sinceramente, é a única coisa que conheço capaz de registrar ocorrência de crimes. Por isso coloquei o cartório eleitoral na frente, vai que é lá mesmo. Se não for, delegacia é sua amiga);

4 – procurar a Secretaria de Direitos Humanos do Estado de São Paulo e reportar ato de homofobia nos termos da Lei Estadual 10948/2001, e ficar em cima dos procedimentos;

5 – conversar de novo com o advogado pra fazer as estratégias e levar tudo pra frente. Vai demorar, vai ter uma série de obstáculos no caminho, mas o que importa é que o bigode do Aerotrem não saia ileso do que fez. E depende de você machucá-lo.

Acho – não tenho certeza disso, pois pra ter eu precisaria pesquisar sem sono e sem surtar na monografia, na prova de Procedimentos Especiais e nos resultados da OAB, o que não é possível neste momento – que uma punição nos termos da Lei Estadual tornaria Levy Fidelix inelegível. A injúria não se qualifica pra isso (é ação penal privada), mas a infração da lei paulista não tem esse caráter. E se muita gente encher o órgão público, o MP pode ajuizar Ação Civil Pública. E tudo isso pode desembocar no completo desaparecimento do ser.

Seria lindo. Mas depende de vocês. Tudo depende da sua iniciativa de levantar da cadeira, parar de xingar no Facebook e fazer alguma coisa. O Paulo Iotti deve saber de tudo isso e assim eu tenho fé. Mas ele, sozinho, não vai fazer esse verão. Você tem que ajudar. Se você tem algo mais em mente que pode ser feito: fale. Faça. Passe isso pra frente.

067267f1f4941280b740923787030e55Estas são as armas que temos agora. Se a bancada evangélica não fosse tão idiota, e Jean Wyllys não fosse tão pentelho, eu não precisaria ter escrito tudo isso, pois homofobia seria crime. Se as pessoas soubessem que a liberdade de expressão não existe para permitir que sejam todos idiotas, eu não teria que escrever tudo isso.  Enfim. Num mundo ideal, já diziam Jasmine e Alladin no tapete voador. Este é o mundo real, e nele, temos que fazer o que dá, e como dá. Eu sentei e pesquisei a noite inteira um jeito de travar esse ser humano; achei isso. Espero que façam bom proveito. Esperam que façam alguma coisa. Espero que lutem, que digam que NÃO, isto não prevalece. Que ele e o “monte de gente que pensa assim” estão errados. E que nós, pessoas pensantes, vamos lutar contra essa maioria de gente idiota. A Valkyria te olhando ali em cima não apareceu à toa. Ela vai te receber no Valhalla se você fizer a coisa certa, pelo menos uma vez, e lutar pelos seus direitos e pelos direitos dos seus pares. Seja guerreiro.

Agora chega. Tenho uma carta pra escrever.

Lekkerding 237 posts

Cúspide e Gêmeos e Câncer. Corinthiana não praticante. Indie até os ossos. Advogada. Blogueira. Eterna estudante. Jogadora de handebol e de rugby, aposentada compulsoriamente. Fã de cerveja, de um bom papo, da internets e da (boa) política. Amante de David Bowie e de Florence & the Machine. Chata. Sem mais.

"Quem sabe respirar o ar de meus escritos sabe que é um ar das alturas, um ar forte. É preciso ser feito pra ele, senão há o perigo nada pequeno de se resfriar. O gelo está próximo, a solidão é monstruosa (...) Quanta verdade suporta, quanta verdade ousa um espírito? Cada vez mais tornou-se isto pra mim a verdadeira medida de valor. Erro não é cegueira, erro é covardia... Cada conquista, cada passo adiante no conhecimento é consequência da coragem, da dureza consigo, da limpeza consigo... Eu não refuto os ideais, apenas ponho luvas diante deles... Lançamo-nos ao proibido: com este signo vencerá um dia minha filosofia, pois até agora proibiu-se sempre, em princípio, somente a verdade."

Friedrich Nietzsche

Porque toda semana - lembrem-se, minhas semanas são relativas - deixarei algo bacana pra vocês verem/ouvirem. Espero que gostem das escolhas.